Bem-vindo à Hiqua

A HIQUA é uma empresa portuguesa criada recentemente, inserida no SERC GROUP, ligada ao sector da qualidade, ambiente e segurança...

01

Amianto

Amianto é o termo genérico para designar várias formas de silicatos naturais, de magnésio e/ou ferro, que apresentam formas fibrosas...

02

Recolha de Análises

Ar - Águas Residuais Industriais e Águas Residuais Urbanas - Águas para Consumo - Controlo Bacteriológico Legionela - Zonas e Solos Contaminados - Resíduos Industriais...

03

Diagnósticos

O perigo do amianto reside essencialmente na possibilidade da inalação das suas fibras que podem alojar-se nos pulmões, onde podem permanecer durante anos...

04

Amianto

O que é?
Amianto é o termo genérico para designar várias formas de silicatos naturais, de magnésio e/ou ferro, que apresentam formas fibrosas.
Aplicações
Isolamento térmico, acústico e físico
Fios e tecidos de amianto (é o amianto que torna os têxteis resistentes e incombustíveis)
Fibrocimento (utilizado no fabrico de chapas, telhas e tubos)
Produtos de fricção (usados em travões e discos de embraiagem para automóveis)
Materiais de revestimento
Consequências para a Saúde
O perigo do amianto reside essencialmente na possibilidade da inalação das suas fibras que podem alojar-se nos pulmões, onde podem permanecer durante anos. O nosso organismo reconhece-as como um “corpo estranho” e reage tentando eliminá-las, através das suas células de defesa que, com o objectivo de destruir as fibras, libertam determinadas substâncias. Estas substâncias, além de se mostrarem incapazes de eliminar as fibras, agridem os pulmões e aí podem surgir várias doenças.
Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), todos os tipos de amianto são perigosos para a saúde. Quando as fibras de dimensões respiráveis são inaladas (as fibras mais perigosas são as que apresentam comprimento superior a 5μm e diâmetro inferior a 3μm), podem alojar-se por bastantes anos nos pulmões e provocar asbestose, fibrose pulmonar, cancro do pulmão e mesotelioma.
O risco de aparecimento de doenças depende do grupo a que pertence a fibra, das suas dimensões, da concentração e do tempo de exposição.
Levantamento e Análise da concentração de fibras respiráveis de amianto:

Legislação:
De acordo com o Decreto-Lei nº 266/2007 de 24 de Julho, a concentração máxima de fibras de amianto a que podem estar expostos os trabalhadores durante a sua vida profissional, trabalhando 8 horas diárias e 40 horas por semana, sem contraírem doenças profissionais, é de 0,1 fibra/cm3.
Tipos de Monitorização:
Os tipos de monitorização existentes são a amostragem pessoal, para avaliação da exposição profissional, e amostragem estática (num ponto fixo). As amostragens estáticas servem para detecção das fontes de contaminação, avaliação da eficácia das técnicas de controlo e protecção colectiva e para determinação das concentrações de fibras de fundo, etc. Estas amostragens não substituem as amostragens pessoais, uma vez que não são utilizadas como estratégia para avaliação da exposição pessoal.
Quando se trata de determinações de fibras de amianto, a maior parte das medições ambientais têm como objectivo confirmar a ausência de contaminação do ar. Isto pode ser necessário em diferentes circunstâncias relacionadas com as seguintes situações:
a) após a remoção de materiais com amianto no interior de edifícios para assegurar que não existe risco da presença de amianto no ar (índice de descontaminação);
b) no exterior das selagens ou zonas confinadas durante as intervenções sobre materiais friáveis com amianto, para verificar que o sistema funciona adequadamente e não existem fugas de ar contaminado que afectem as áreas adjacentes;
c) no ar de locais onde existam materiais com amianto para verificar o seu estado de manutenção.
Análise Laboratorial:
Após o levantamento efectuado, as cassetes foram enviadas para o nosso Laboratório em França, EUROFINS LHCF Environnement, devidamente acreditado, e analisadas através do sistema MCOP norma XPX 43-269 (Mars 2002).